...

Esta noite decidi passar o meu ano em revista, aproveitando isto, passo por aqui para dar ares a minha existência..

Tenho andado muito parada neste mundo! Continuo sempre a passar pelos cantos de quem gosto, de quem nem conheço, mas que nem por isso me deixar de fascinar com os seus relatos esporádicos..

Tenho a caixa cheia de rascunhos que fui escrevendo ao longo destes meses em que estive ausente..mas ao rever tudo aquilo nada me parece suficientemente bom para poder postar algo de que me orgulhe..

 

Ultimamente tenho chegado a esta altura do ano com aquela sensação de distância de minha querida infância. Começo a rever tudo, e em tudo vejo marcas daquilo a que costumam chamar de.. amadurecimento ??? Não sei..  

Uma saudade enorme dos tempos em que os problemas gravíssimos, acompanhados de grande pranto, se limitavam à negativa do teste de matemática, ou não saber como justificar as faltas por ter ficado a jogar as cartas no bar.. enfim..

Começo a olhar para traz e a ver grandes desgostos, perdas irreparáveis, problemas realmente graves em que a solução passa por nós, e em que nós também somos os únicos culpados.

Tive momentos de glória, e de reconhecimento do meu trabalho, onde senti que realmente tudo vale a pena. Houve daqueles em que tive vontade de fugir, porque tive medo, porque o nó no estômago era tão grande, em que tinha certeza que nem o “Boa Tarde” sairia. Daqueles em que tudo sai mal e tudo foi em vão.. Sufocos pelos quis nem quero nem serei capaz de passar de novo.

Vivi momentos de alegria, pertinho de quem gosto! Vi sorrisos que nunca mais me esqueceram, abraços que ainda hoje sinto o aperto de tamanha felicidade..

Cheiros e paisagens longínquas, onde fui feliz, onde fui amada, mimada onde sonhei com o futuro.

Boas conversas, boas risadas, momentos de muito contentamento e sinceridade.

 

Também chorei. Tanta vez. De medo: escondida, calando os gemidos entre os lençóis do meu leito; De felicidade: Nos braços de quem me adora, de quem me compreende e partilha comigo instantes marcantes;

 

Este está a terminar. Resta-me pedir por todos aqueles que que amo, que são imprescindíveis na minha vida…

Até para o ano:                                                

                                   

Por Di às 23:29
|
Estou: