Muito tempo depois

Decidi publicar...

 

Quando as pessoas mais procuram, é quando a vida mais partidas prega, mais nos deixa furiosas e revoltados com a nossa própria sorte.

Foi quando deixei de tentar encontrar a calma , foi quando me deixei viver, sem pensar muito no dia seguinte, quando decidi que iria deixar-me levar nas surpresas da vida, porque afinal, se tem das más também deveria ter das boas; foi, em mais um daqueles dias em que me deixava levar, que o fado tomou a decisão de me unir a alguém que faria, não, melhor, seria o meu futuro.

Sempre acreditei na minha vida como sendo feliz mas tambem parecia ter a sensação que era uma felicidade longinqua. Porém, a felicidade é uma surpresa que se torna ainda mais agradável quando nos é escondida por entre os caminhos, as palavras e os momentos de cada dia.

Descobri que a felicidade não se atinge. Constrói-se. Fui descobrindo isso com o passar dos dias do teu lado. Entrei nesta estrada levada pelas horas que a vida me dava do teu lado.

Fui ficando.

Fui descobrindo que estava feliz, que era bom, que eu gostava, e que não haviam motivos para deixar de viver o estava a sentir.Aos poucos fui percebendo que o que procurava na vida, era aquilo que tinha encontrado, que estava ali...bem do meu lado. Com aquele olhar meigo, com aquele sorriso aberto, com as palavras doceis, com aqueles sentido de humor delicioso.

Sem dar conta, os planos começaram a surgir. Atitudes foram sendo tomadas. Como duas crianças inconscientes, fomos vivendo a brincadeira, com aquela pressa infantil de viver, fomos querendo horas e horas de atenção. Aprendi que se não perdermos o lado infantil, vivemos com mais intensidade.

E hoje no decorrer de todas esta bricadeira que nunca acabará, que vivo em felicidade conatante. Que se sou feliz contigo,também é graças às discussoes e ao mau-estar que por vezes se intalou entre nós. Porque se partilhamos sorrisos de felicidades, se partilhamos os abraços e os momentos de paixão, de desejo, se queremos um ao outro na totalidade, teremos que fazer a união tambem na dor. Não esquecendo que é sempre depois de dor, que vem os sorrisos, e a felicidade por ainda estares ali. Ao meu lado. E é aí que quero que fiques.

Sempre.

 

"E é amar-te assim,

perdidamente.

É seres alma, sangue,

e vida em mim"

 

Por Di às 23:29
|